Como manter o controle de qualidade quando sua empresa se expande no escopo

Controle de qualidade vs. dimensionamento

Como uma das chaves para a longevidade e operações lucrativas, a expansão dos negócios é um procedimento extremamente importante que requer atenção aos detalhes e planejamento cuidadoso. Embora seja bastante auto-explicativo, inclui qualquer forma de construção geográfica ou de catálogo, onde a marca entra em novos mercados. Infelizmente, também é uma das razões mais comuns pelas quais as novas empresas falham ou perdem muitos de seus investimentos.

Preocupações de controle de qualidade ao dimensionar

Quando uma organização está em expansão, os membros da liderança executiva precisam dividir sua atenção. Em vez de se concentrar completamente nas operações do dia-a-dia e nos objetivos de longo prazo, eles também precisam encontrar tempo para administrar a expansão complexa.

Um subproduto comum de tal abordagem é uma queda na qualidade dos bens ou serviços vendidos aos clientes. Espera-se que indivíduos que possam ser leais à marca e começarem a receber entregas sub-par sejam forçados a reconsiderar transações futuras. Por isso, manter um excelente controle de qualidade ao expandir é vital para a sobrevivência da entidade.

Assegure-se de que o sincronismo esteja direito

A Fazt Tech é uma empresa de tecnologia e licenciamento especializada em serviços de alta qualidade. Com base em algumas expansões conduzidas pela marca no passado, elas citam o tempo como o primeiro fator que deve ser analisado. Em outras palavras, o negócio que está passando por uma expansão está pronto para isso? O estado atual da economia, o grau de previsibilidade da receita e os benefícios antecipados realmente superam o risco de expansão? Se houver uma pequena dúvida sobre a resposta, a expansão deve ser adiada.

Tentar dimensionar em um momento inadequado exigirá sacrifícios que são frequentemente notados em processos significativos, como o controle de qualidade.

Não priorize

Caso alguém já tenha iniciado seu empreendimento de expansão, isso não significa que o adiamento ou o cancelamento de tais atividades não seja mais uma opção. A verdadeira questão, no entanto, é como uma pessoa responsável percebe que precisa interromper o projeto imediatamente?

De acordo com Fazt Tech, uma ótima regra é ver se há priorizações obrigatórias. Isso significa que a falta de capital ou tempo obriga a empresa a escolher entre a expansão e algo como controle de qualidade. A escolha certa nesse cenário é não fazer um.

Para entender por que, considere as seguintes respostas hipotéticas. Se uma empresa optar por priorizar a expansão, o controle de qualidade sofrerá e os clientes existentes poderão ser perdidos. Se o controle de qualidade é priorizado, há uma boa chance de que a expansão não seja feita corretamente. Em vez disso, simplesmente pausar a expansão e voltar a ela mais tarde será o melhor compromisso nessas circunstâncias.

Trabalhadores de armazém, fazendo o controle de qualidade

Delegar os deveres e aumentar a força de trabalho

Quando as organizações têm recursos e tempo suficientes para lidar com o controle de qualidade e a expansão simultaneamente, eles devem simplesmente introduzir camadas adicionais de segurança. O primeiro é delegar deveres e contratar mais trabalhadores. Assim, durante o tempo em que a liderança executiva é principalmente focada em escalonamento, é aconselhável contratar um gerente de controle de qualidade adicional ou dois.

Também é crucial substituir qualquer funcionário que seja retirado do departamento de controle de qualidade e transferido para o projeto de expansão.

Estabelecer pontos de controle adicionais

As empresas que lidam com expansões difíceis precisam estabelecer alguns procedimentos adicionais que servirão como linhas adicionais de defesa contra produtos ou serviços defeituosos.

Um excelente exemplo inclui um checkpoint de qualidade que deve ser gerenciado por um coordenador de qualidade independente. O mesmo resultado também poderia ser alcançado reforçando rigorosos controles de qualidade diretamente nos trabalhadores da linha de montagem ou provedores de serviços. Pedir que eles preencham e enviem relatórios de qualidade para seus superiores pode ajudar os gerentes a avaliar o desempenho e garantir que nenhum erro passe despercebido.

Aperte os benchmarks de comparação

Finalmente, como a principal desvantagem de uma expansão é que ela tira o foco do controle de qualidade, pode ser necessário alterar os benchmarks. Antes de explicar como, é preciso entender que tipos de benchmarks são usados ​​em sua empresa. Muitas empresas que vendem mercadorias têm referências para tempos de produção, porcentagem de unidades defeituosas, número de verificações diárias de qualidade e similares.

Por exemplo, um produtor em massa de estruturas de madeira pode contar com a produção de 1.000 unidades, com uma média de 30 verificações de qualidade por semana. Se essa empresa estiver subitamente expandindo em mais três estados e os líderes não puderem visitar a instalação em breve, a produção poderá precisar ser reduzida. Então, em vez de esperar 1.000 unidades, definir o benchmark em 750 pode ser mais realista.

Aumentar o número de verificações semanais de 30 para pelo menos 40 também é um ajuste realista. Dessa forma, a produção que não tem supervisão executiva será reduzida e reforçada com inspeções semanais de qualidade adicionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *